CRÓNICAS DO EUROPEU

HOLANDA - 2 // 3 - REPÚBLICA CHECA
Estádio Municipal de Aveiro

Nos minutos iniciais a R. Checa criou duas oportunidades de golo, que com a oposição da Holanda criaram um início de jogo excelente. É, no entanto, a Holanda que estreia o placar: Bouma, a centro de Robben, bate Petr Cech de cabeça. Seedorf assinou então duas jogadas de belo traço: um livre que raspa no poste e uma jogada muito boa que termina num erro dos homens de negro, assinalando pontapé de baliza quando, na realidade, o correcto seria assinalar pontapé de canto. Aos 18', o abrir do marcador. Robben recebe de Davids, centra para Van Nistelrooy, que marca em nítido e mais que escandaloso fora-de-jogo posicional. A redução chegou aos 23' com uma intercepção de Baros a um mau atraso de Cocu. Conduziu a bola e já em frente à baliza passou para o gigante Koller que marcou. Aos 29' Nistelrooy é derrubado para grande penalidade que o árbitro não assinalou. Cech destacava-se por boas intervenções. Davids e Robben trabalhavam tecnicamente para o espectáculo. Koller, Poborsky e Baros jogavam muito bem. Enfim, o jogo tornava-se o melhor do Europeu até ao momento.
No segundo tempo, o desenrolar do jogo foi ainda mais excitante, com múltiplos remates e jogadas de perigo de parte a parte, com defesas brilhantes de Cech (56') e Van der Sar (63'). O empate consuma-se aos 70' por Baros, jogada iniciada num centro de Smicer para o amortecimento de peito de Koller e Baros, sem parar a bola, remata sem hipótese para Sar. Momento de luxo no Municipal de Aveiro. O árbitro fartava-se de errar, manchando o nome da classe que tão bem tem desempenhando a sua missão, desta feita expulsando Heitinga por acumulação de amarelos, num lance que nem é falta. Nos bancos Karel Bruckner goleava Dick Advocaat, tendo as suas substituições sido arriscadas mas com resultados. Aos 76' Nedved avisa, Heinz insiste, aos 80 o capitão volta a avisar que o golo estava perto. E estava. Aos 87', consuma-se a vitória dos checos por intermédio de Smicer. Heinz remata forte, Van der Sar responde bem e, na recarga, Poborsky mete para o lado, onde está Smicer para marcar. O risco foi bem sucedido e deu a vitória à ex-Checoslováquia.

Melhor em campo:
Pavel Nedved

Árbitro:
Manuel Mejuto González - vergonhoso. Um golo em fora-de-jogo, um penálti por marcar, faltas que bastem mal marcadas e muitos outros erros fazem com que seja de duvidar a categoria deste árbitro. Num Europeu não se podem cometer erros assim.









Comentários

Mensagens populares