Levitando sobre um espaço prestes a implodir

Fechando-se porta atrás de porta, confiança atrás de confiança, nada nos resta a não ser levitar. Percebemos que cada vez mais coisas têm um duplo significado e uma interpretação alternativa que nos induz no erro de aceitar as mesmas opiniões de sempre, confusas e, por si mesmas, desorientadas. Levitamos, mas o contacto inevitável, ainda que breve, com o solo pode ser doloroso e levar-nos, ainda mais, ao cúmulo da reflexão, quando se pensa sobre o que se deve ou não pensar.
E que dizer dos momentos em que não podemos firmar a nossa posição porque não temos suporte? Que acrescentar das alturas em que a vertigem de não poder falar é mais forte do que a presunção de o poder fazer sempre? E se as acções não bastarem para isto corrigir?
Não bastam. E aí levita-se, a fuga suprema de quem não pode voar.

Matrioskas

Carolina Patrocínio disse: " O que mais gosto em mim é a auto-estima". Que fique claro que os pais merecem todo o mérito por terem filhas que se destacam pela sua beleza. No entanto, cedo se percebe que declarações como estas são como o brilho das supernovas: é o mais forte mas é o que se extingue mais rápido. Por isso, e porque gostaria de poder ver alguém com tanto potencial (porque tem 20 anos tem, inevitavelmente, muito potencial) nos ecrãs e nas passerelles aconselho à desconstrução desta boneca russa de palavras que está dentro de outra que, por sua vez, se encontra no interior de uma terceira. Narciso foi assim e caiu no poço. Podia ter sido assim e não ter caído caso, na última espreitadela, se lembrasse que já estava a exagerar.

A guitarra

A minha última aquisição foi uma guitarra. O primeiro presente que eu mesmo me ofereci com o meu primeiro salário. E, diga-se de passagem, dói-me os dedos enquanto escrevo isto. A sensação de estar sentado ao piano com uma guitarra no colo e poder alternar os dois instrumentos fazendo de mim o único elemento que os une e que, simultaneamente, os separa nas suas idiossincrasias é fantástica. Talvez nasçam em mim outro tipo de talentos...

Um pequeno passo para Saylor um grande passo para Santos



Acompanho, como é óbvio, o website do Steven Saylor, mantendo-me actualizado sobre tudo o que o rodeia. Por isso foi com enorme contentamento que pude constatar a presença de uma foto minha na companhia do referido autor na primeira página do seu site www.stevensaylor.com. Como a próxima actualização irá, com certeza e por fruto da necessidade, retirar-me este pequeno momento de fama, copio para este post a imagem que lá se apresenta. Mais uma vez, obrigado Steven.

Orgulho

A noite nunca é escura de mais para pensar. Os pensamentos podem ser escuros de mais para a noite. Assim como as manhãs cobertas de nevoeir...