Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2005

Feira do livro

A Feira do Livro abriu hoje. É sempre um espaço onde se respiram letras, um perfume a páginas escritas, umas mais antigas outras nem tanto, ou seja, um perfume quente do passado ou um outro mais fresco do presente. Foi lá que, no ano passado, comprei o Código Da Vinci e passado um ano vejo o entusiasmo sobre Dan Brown de uma forma bem diferente. Se foi, com o primeiro romance bombástico, considerado um brilhante escritor, agora, caindo no erro da repetição do formato em Anjos e Demónios mostra uma dose fraca de pensamento divergente. Pode ser que mude, pode ser que não…

Semana negra do desporto

O tempo é escasso e não me permite, portanto, alongar-me aqui tanto quanto seria desejável. No entanto, em poucas linhas é possível fazer um resumo de tudo o que se passou desde 6 de Maio, data do último post.
No desporto, o panorama foi negro. Portugal perdeu a final do futebol de praia para a França de Cantona após um penálti na barra, executado por Alan (logo ele); o FC Porto perdeu a final da Liga dos Campeões de hóquei em patins com o Barcelona depois de ter estado a vencer por 1-0; o Sporting perdeu a final da Taça UEFA contra o CSKA de Moscovo por 1-3, tendo estado a ganhar por 1-0 e deixando para trás a oportunidade única e irrepetível de vencer uma competição europeia em casa… Tudo isto numa semana! Ainda assim acredito que o FC Porto vencerá a Superliga com a ajuda do Boavista, que não tem vindo a jogar bem nas últimas jornadas, mas que suporta nos ombros o peso de decidir um campeonato, acrescido da tristeza dessa decisão não poder ser a seu favor.
Dentro de outras dimensões…

Liga dos Campeões

Mourinho perdeu. Ao escrever estas duas palavras, o sistema de correcção do Word diz que são incompatíveis e, subsequentemente, sublinha-as a verde. Contudo, não posso explicar ao computador que quando se trata de futebol, decisões arriscadas, penálti não marcados e coisas do género até podem, em casos de extrema raridade, ser compatíveis. E foram. O Chelsea mereceu, mas quem ganhou foi o Liverpool. Anda assim, ninguém tira a Mourinho o carisma, nem tampouco, os restantes títulos. E a qualidade essa, tê-la-á durante muito tempo.