Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2007

Imitador imparável

Defendo a política de vida que o CD de Gabriel, o Pensador enuncia: Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo.
Claro que, sendo seres em aprendizagem contínua, em crescimento sempre exponencial e nunca em decrescimento, como alguns podem querer transmitir, admito sempre a mudança e o volte-face vivencial que é mudar de hábitos e até de opinião. Contudo, censuro veementemente a vontade indómita de alguns em transformar a sua vida na crítica de outro quando em si mesmos se revela o estilo de vida criticado. É o caso de Cláudio Ramos.
Este pretenso escritor (sublinhe-se o pretenso), ou melhor, mau cronista social, faz vida da crítica do cor-de-rosa, aquilo que muita gente não sabe o que é, que alimenta comprando revistas mas que acaba por repugnar na mesa de café quando renuncia ao snobismo. Pois atente-se neste homem e veja-se que a sua ambiência é a mesma daqueles que ele critica, o que lhe confere a pele de delator, no mais puro sentido do termo. Se bem que nada tenha contra a frequê…

O engano continental, a poncha e o que de nós restasse

A verdade foge, como na maioria das vezes, ao estereótipo. A Madeira não é asfixiante por estar rodeada de água. Tal não acontece com a apelidada Pérola do Atlântico nem com a ilha Dourada, o Porto Santo, tendo esta até uma dimensão bastante mais reduzida.
Por isso, após as férias no Algarve, onde nunca tinha visto tantos estrangeiros (e estrangeiras) como este ano, talvez devido ao facto de ser Agosto, fui para a Madeira.
Desde dia dez até dia vinte foi o mais pequeno arquipélago português que me ocupou mais tempo. Em dois dias demosa volta à ilha, eu, o Bruno e o Filipe, fazendo uso das mais extremas capacidades de resistência e captação. Para a primeira tínhamos a ajuda do pé-de-cabra, da nikita, da Coral, do cortado, mas principalmente, da poncha (que saudades!). Para a segunda, o inestimável apoio das máquinas fotográficas que, como nós, aguentaram caminhadas, chuva, vento, muito sol e muito pó pisado por nós. E depois disto ainda faltava mais de metade da estadia.
Intercalando a po…