Estágio de obstetrícia

Estagiar é, por si , uma experiência única e, portanto, irrepetível. Viver quase um mês numa casa com nove rapazes é, também, uma aventura cheia de atritos, escorregadelas e algum, senão muito, desleixo. Fata-nos a mão feminina, a tão sonhada fada do lar.
Mesmo assim, e apesar de todas as dificuldades que surgem, estejam elas relacionadas directamente com o estágio ou não, não deixa de ser muito agradável e surpreendente a forma como fomos recebidos no Centro Hospitalar do Alto Minho, EPE. As utentes não demonstram qualquer tipo de constrangimento, as enfermeiras tratam-nos como colegas que seremos e os bebés...bem, a esses passamos despercebidos. Ou, pelo menos, por esses não seremos recordados. Este post poderia, portanto, ser um simples sorriso. Um sorriso alegre de quem estagia num serviço hospitalar que emana esperança por (quase) todas as enfermarias.

Três meses: o cor-de-rosa vence o negro

Por muito que pareça incrível, há dias em que escrever no Fiel Depositário não é propriamente a minha vontade. Com o passar do tempo e o meu blog prestes a fazer três anos o que, dentro deste pequeno grande mundo, é exorbitante, acresce a responsabilidade de o manter, o desejo de nunca o ver partir. E se de mim depender, assim será.
Pois bem o meu primeiro post de 2007, um ano que augura, sem dúvida, grandes acontecimentos a todos os níveis vai para a data marcante que é hoje. Três meses. Em três meses é possível estabelecer uma enormidade de coisas, de participar numa infinidade de projectos, que é, afinal, o que tenho feito a minha vida toda. Mas nunca um como este. Deste, a relação afectiva mais séria, mais emocionante e mais reconfortante alguma vez vivida, depende a minha sanidade mental, dependo eu. Alguns diriam que exagero. Pois bem, é evidente que não morreria se algo acontecesse, mas todos os que alguma vez passaram por isto, todos os que viveram esta experiência ou mesmo não a vivendo sonharam com ela, percebem que é incrivelmente satisfatório viver assim. Por muitas angústias que tenham de ser vividas em algumas situações, vale a pena, porque são essas que nos conduzem ao vale encantado dos grandes momentos. Que seria da luz sem a escuridão? Que seria do doce sem o amargo? Como costumo dizer o mundo não é cor-de-rosa, mas também não é negro. É esse equilíbrio que, diariamente, temos de procurar e encontrar. E eu encontrei o meu. Alguém que contrapõe o meu esporádico mau feitio, alguém que me ouve, alguém que está ao meu lado mesmo quando não está presente, enfim, alguém que me faz ser mais do que o que sempre fui.

Chama-se Filipa e hoje completam-se três meses.


Fernando Miguel Santos 11 de Janeiro de 2007

Orgulho

A noite nunca é escura de mais para pensar. Os pensamentos podem ser escuros de mais para a noite. Assim como as manhãs cobertas de nevoeir...