CRÓNICAS DO EUROPEU

PORTUGAL - 2 // 2 - INGLATERRA
(decidido em grandes penalidades: 6-5)
Estádio da Luz, Lisboa

Um jogo de nervos. Logo no início, Costinha atrasa mal de cabeça (quantos maus atrasos resultaram em golo este Europeu!) e Owen, com uma técnica apurada marca o primeiro dos britânicos. Estavam decorridos 3 minutos. Portugal contudo decidiu responder correctamente e aceitou o sinal de Scolari que ordenava calma aos jogadores portugueses. Com Nuno Gomes na frente e sem Pauleta que havia visto dois amarelos, Portugal passou a dominar o jogo. Muitos jogadores protagonizaram grandes oportunidades: Maniche, Ronaldo, Figo, entre outros. Mas Portugal não conseguia atingir o empate para depois tentar a vitória. Os ingleses defendiam mais, mas nem por isso deixavam o ataque desguarnecido. Rooney acabou por se lesionar num lance com Jorge Andrade, entrando para o seu lugar Darius Vassel. Portugal, apesar da insistência, partiu para o descanso derrotado, ainda que tivesse 45' para mudar o quisesse e pudesse.
No regresso não havia alterações portuguesas, mas Scolari faria mudanças tácticas no decorrer do segundo tempo. Faltavam 15' quando Figo saiu, nitidamente desagradado, o que Scolari catalogou e bem de "normal, para a entrada de Postiga. Aos 83', Deco cobra o canto do lado esquerdo do ataque português e o avançado do Totenham marca de cabeça. Com este golo Postiga levou Portugal para o prolongamento.
Apesar do cansaço as equipas continuavam a investir contra o adversário, mas Portugal dominava a partida. E foi pelo entrado Rui Costa que este chegou. Um golaço: após algumas tentativas, Rui Costa, de fora da área remata, vindo a bola a embater na barra e a assegurar o 2-1. Já decorria então a segunda parte dum prolongamento que não usou do Golo de Prata. Portugal teria de esperar pelo final, mas com uma defesa debilitada, estando Deco a defesa direito e muitas mais mudanças em jogo. Num pontapé de canto, Portugal não acertou nas marcações e Lampard, após passe de cabeça de Terry marcou o empate. Nova luta, desta vez feita a partir da marca de grandes penalidades. O árbitro foi muito criticado pelos ingleses por ter ainda anulado um golo a Sol Campbell, que foi bem anulado, ou não tivessem Terry e o seu companheiro do eixo da defesa, carregado Ricardo.
De um lado James, do outro Ricardo. A história dos penáltis foi assim:
1 - Beckham - falhou. Desconcentrado por Ricardo o capitão inglês bateu por cima, muito por cima.
2 - Deco - marcou.
3 - Owen - marcou.
4 - Simão - marcou.
5 - Lampard - marcou

6 - Rui Costa -falhou. Também enviou a bola por cima, como Beckham.
7 - Terry - marcou.
8 - Ronaldo - marcou.
9 - Hargreaves - marcou.
10 - Maniche - marcou.
11 - Ashley Cole - marcou.

12 - Postiga - marcou. A forma como bateu James merece referência. A subtileza foi tal que o guardião levantou-se ainda a bola não tinha tocado as redes. Um penálti soberbo que fez nascer sorrisos nas caras nervosas dos companheiros e do público.
13 - Vassel - falhou. Ricardo tirou as luvas num acto de confiança e defendeu o penálti que sem a sua intervenção daria golo.
14 - Ricardo - marcou. Tornou-se assim o herói da partida. Nuno valente preparava-se para marcar, mas regressou, tal foi a convicção de Ricardo. Marcou bem e colocou Portugal nas meias.

Melhor em campo:

Ricardo Carvalho

Árbitro:
Urs Meier - boa exibição. Os ingleses acusam-no de ter deturpado o resultado, o que não é, de todo, verdade.

Sem comentários:

Vídeos sobre Covid-19 no canal Pista de Aterragem

O Pista de Aterragem, blog e canal de YouTube, foi transformado temporariamente numa plataforma de partilha de informações sobre o Covid-19....