Pontes

O meu último post afirma que voltaria a referir-me ao estágio, ao hospital, a Viseu. Vou remeter-me ao silêncio a muitas coisas, embora tenha um texto, que um dia postarei, que fala de Don Corleone e se relaciona com o tema.
Viseu é uma cidade bonita, bem mais do que na hora da chegada, agora que a vejo à distância. Tem pessoas que valem o esforço do frio e isso, acima de qualquer coisa, é mais do que aquilo que podemos esperar.
Já em Gaia e já de volta ao rebuliço do comboio, terminei a leitura de "As pontes de Madison County" no Dia dos Namorados. Robert Kincaid e Francesca Johnson viveram um amor verídico que muito poucas vezes se repercute. Conseguiram vivê-lo em quatro dias e suportar a separação durante o resto da vida de Robert, sem poderem trocar uma carta ou um telefonema. E, no fim dos dias de ambos, a sua felicidade continuava ali, dando graças por se terem conhecido e não praguejando contra o infortúnio do afastamente.
Perante isto, não resta muito. Resta, apenas, dar valor ao pequeno, às pequenas coisas.
Quando vemos uma paisagem, basta um raio de luz para a tornar idílica. E a luz por si só é invisível.

2 comentários:

Unknown disse...

sr. agostinho cama 8
saudações leoninas

Anónimo disse...

Importante não é o tempo que as coisas duram, desde que sejam vividas com intensidade, por muito curto que seja o momento, vão ser sempre INESQUECIVEIS.

Vídeos sobre Covid-19 no canal Pista de Aterragem

O Pista de Aterragem, blog e canal de YouTube, foi transformado temporariamente numa plataforma de partilha de informações sobre o Covid-19....